Legado social da Jornada Mundial da Juventude teve contribuição de R$ 2,5 milhões da Conferência Episcopal Italiana


Na tarde de quarta-feira, 24, o Papa Francisco participou da cerimônia de inauguração do novo pavilhão do Hospital São Francisco de Assis da Providência, na Tijuca, no Rio de Janeiro.  

O pavilhão é um dos legados sociais que a Jornada Mundial da Juventude deixa para a cidade do Rio de Janeiro, que luta contra o consumo de drogas e pela inserção social dos dependentes químicos.

O Polo, construído com a contribuição de R$ 2,5 milhões da Conferência Episcopal Italiana (CEI), terá inicialmente 40 leitos, mas espera dobrar sua capacidade até o fim do ano.

Um ganho importante para a cidade do Rio de Janeiro, onde vivem mais de 600 mil dependentes químicos e apenas 20 leitos disponíveis para atendimento. O Brasil tem dois milhões de dependentes químicos, sendo 50% na região Sudeste (600 mil no Rio de Janeiro). 

O pontífice também criticou fortemente o egoísmo, muito presente na sociedade atual, causador de tanta opressão e dependência. “São tantos os ‘mercadores da morte’ que seguem a lógica do poder e do dinheiro a todo custo”. Ele acrescentou que “a chaga do tráfico de drogas, que favorece a violência e que semeia a dor e a morte exige da inteira sociedade um ato de coragem. Não é deixando livre o uso das drogas, como se discute em várias partes da América Latina, que se conseguirá reduzir a difusão e a influência da dependência química. É necessário enfrentar os problemas que estão na raiz do uso das drogas, promovendo uma maior justiça, educando os jovens para os valores que constroem a vida comum, acompanhando quem está em dificuldade e dando esperança no futuro”. 


Durante a cerimônia, dois ex-dependentes químicos deram seus testemunhos de forma emocionante, relatando todo o sofrimento que a droga traz para o viciado e para toda a família.  

Além de agradecer o trabalho da equipe médica, a quem comparou ao Bom Samaritano, destacou que os dependentes químicos não estão sozinhos, mas  que precisam aceitar a ajuda. “Olhem para frente com confiança; a travessia é longa e cansativa, mas olhem para frente”. Deixou também uma mensagem de esperança às famílias dos pacientes. “A Igreja não está longe dos esforços que vocês fazem. Elas lhes acompanha com carinho”.


Postagens mais visitadas deste blog

Dicas para definir o Objetivo Geral e Objetivos Específicos de um projeto

Passo a passo: Como criar uma ONG