Pesquisa avalia fatores que influenciam o desempenho escolar pela perspectiva dos próprios alunos


Alunos que obtém notas altas, regulares ou insatisfatórias nas avaliações escolares têm entre si diferenças e semelhanças que, muitas vezes, ultrapassam o limite das salas de aula. A educação num ambiente familiar estável, a convivência com atividades culturais, autocontrole no uso da internet são algumas situações que influenciam diretamente o desempenho escolar dos jovens; enquanto a falta dessas experiências e hábitos podem trazer resultados negativos para o aluno.  



As entrevistas foram feitas entre março e junho deste ano, com alunos do primeiro ano do Ensino Médio que atingiram três diferentes faixas de desempenho na aplicação do último teste do hábile - Sistema de Avaliação Positivo: avançadoproficiente e básico. Entre os assuntos abordados estiveram à relação familiar e com a comunidade, o método de ensino utilizado pelos professores, os fatores que influenciariam o seu desempenho escolar, a rotina de estudos e lazer, sonhos e planos para o futuro.


Principais conclusões do estudo realizado pelo Instituto Positivo:


§  Uso da internet. Todos os alunos da amostra utilizam a internet para fins de aprendizado. Uma característica interessante do aluno com desempenho acima do esperado é que, independentemente das condições pedagógicas e de infraestrutura educacional a que se encontre submetido, ele utiliza a internet de forma moderada e consciente, sem se deixar dominar por ela. Enquanto isso os alunos proficientes e com desempenho básico parecem ser dominados pela internet.

§  Disciplina ajuda. Para a maioria dos alunos, incluindo as três categorias, a “bagunça” nas aulas é um dos fatores que mais interfere no desempenho escolar. A diferença é que os alunos de desempenho avançado encontram estratégias para que a bagunça não interfira na sua aprendizagem: buscam sentar-se mais à frente, fazem pesquisas sobre o conteúdo de sala após a aula e pedem ajuda ao professor e amigos. Os entrevistados indicaram ainda sua preferência por professores que sabiam “botar moral” e também os de perfil “descontraído”, que conseguiam fazer as aulas mais organizadas e dinâmicas.

§  Sonhos e planejamento para o futuro. Os alunos de desempenho avançado aceitam responsabilidade para o seu próprio progresso. Eles têm sonhos e planos de vida que os motivam. Criam relações de apoio mútuo com colegas de turma e com adultos e se planejam de forma efetiva, no dia a dia, dentro e fora da escola, em busca das suas aspirações.

§  Estabilidade familiar. A maior parte dos alunos de nível avançado entrevistados tem pais casados. Entre os alunos de desempenho básico, a ocorrência de pais separados é maior. Nesse critério, observou-se semelhança entre o número de pais separados de alunos dos níveis proficiente e básico.

O bom relacionamento entre pais e filhos foi mais marcante nas falas dos alunos de nível avançado, em comparação aos das faixas proficiente e básico, em que pontos de tensão foram mais identificados. Entretanto, observou-se também bom desempenho de alunos de pais separados que têm bom relacionamento e apoiam o filho.

§  Perfil de liderança. As lideranças nas relações sociais parecem aflorar mais nos alunos que apresentam desempenho acima da média e abaixo da média. Os líderes da interação social com os colegas situam-se nas faixas avançada e básica, enquanto os liderados aparecem mais na faixa proficiente.

§  Formação dos pais. O número de alunos avançados com pais diplomados em nível superior era mais que o dobro comparado aos de nível básico.

Veja a íntegra da pesquisa aqui.


Postagens mais visitadas deste blog

Dicas para definir o Objetivo Geral e Objetivos Específicos de um projeto

Passo a passo: Como criar uma ONG